O que levar em consideração na hora fazer um orçamento para obras

Não importa se estamos falando de uma obra pequena ou de algo gigantesco, o orçamento é uma das etapas necessárias para garantir o sucesso das obras civis. Por isso, os profissionais que atuam na área devem saber prepará-lo minuciosamente. Mas nós entendemos que essa não é uma tarefa simples (nem fácil). Pensando nisso, preparamos um manual do que levar em consideração nessa hora.

É importante destacar que o orçamento será o ponto de partida para a execução da obra. Com base nele, o cliente decidirá se entra na empreitada ou não. Trata-se de um retrato de como a obra será executada de acordo com a situação financeira do momento.

No entanto, um orçamento não é papel exclusivo de engenheiros ou arquitetos, por exemplo, mas envolve outros profissionais que atuam nos setores de contabilidade, compras e vendas e contratação de pessoal.

Especialmente quando se trata do setor público, não são novidade para ninguém os imprevistos e atrasos. É claro que algumas vezes isso envolve falta de recursos ou o não cumprimento das obrigações. Na maioria dos casos, no entanto, o orçamento não prevê situações de risco.

Aliás, há um desvio alto entre o valor da obra orçada e o custo real do empreendimento. Para tentar mensurar isso, a consultoria Deloitte realizou um estudo em parceria com sindicatos da construção civil, em 2014.

A pesquisa revelou que há um desvio médio de 22% entre o orçado e o que está em andamento. (https://www2.deloitte.com/br/pt/footerlinks/pressreleasespage/pesquisa-construcao-civil.html#)

Essa é uma realidade, no entanto, que pode ser modificada por meio de algumas estratégias.

7 etapas essenciais na hora elaborar um orçamento

  • Integração das equipes responsáveis pela gestão orçamentária: mesmo que se tratem de ótimos profissionais engenheiros, eles necessitam do auxílio das equipes que atuam nos outros setores, como já mencionado. A equipe consegue comparar obras semelhantes realizadas, total gasto, modificações de orçamentos anteriores e mais. Além disso, elas utilizam ferramentas de gestão que facilitam o trabalho.

  • Levantamento quantitativo: nesta etapa, é imprescindível quantificar os serviços necessários. Quando falamos de serviços, estamos nos referindo a todo e qualquer serviço, até mesmo aqueles relacionados à jardinagem.

  • Verifique os preços unitários: os preços unitários irão determinar o custo direto da obra e estão relacionados ao preço de cada serviço necessário nas obras civis, sejam esses produtos ou mão de obra. Se a mão de obra aparecer no orçamento associada aos produtos e equipamentos, então falamos em custo direto.

  • Faça a cotação dos custos indiretos: enquanto os custos diretos podem ser mensurados com base no valor de produtos e serviços, os custos indiretos não podem, necessariamente, serem quantificados. É o caso de materiais de escritórios, contas de água, luz e telefonia, combustível e até o cafezinho servido, pois os valores variam.

  • Avalie os impostos e taxas envolvidos: os serviços possuem cargas tributárias envolvidas e isso precisa aparecer no orçamento. Além disso, o não cumprimento com as obrigações tributárias resulta em multas e, em alguns casos, até em paralisação da obra.

  • Faça o cálculo do BDI: Benefício e Despesas Indiretas correspondem a uma taxa aplicada sobre os custos indiretos, imposto, lucro, garantia, riscos e seguros, por exemplo. O BDI irá incidir sobre os serviços unitários e é ele que determina o preço de venda. É importante destacar, porém, que o BDI não é fixo e varia conforme o tipo de obra. Quando se trata de obras públicas, o Tribunal de Contas da União (TCU) impõe algumas limitações para o BDI. A fórmula de cálculo para o BDI de obras públicas, portanto, é diferente.

  • Hora de fechar o orçamento: após fazer o cálculo de todos os valores acima, é hora de fazer a junção das informações e apresentá-las para o cliente. Todas as etapas mencionadas até aqui devem aparecer no orçamento, como preços unitários, custos diretos e indiretos, BDI e muito mais.

Você deve estar pensando: agora que cumpri todas as etapas necessárias para elaborar um orçamento, estou apto para apresentar a proposta ao cliente ou para concorrer a uma licitação, certo? Errado.

Lembra daquela pesquisa da Deloitte? O mesmo estudo indicou a ausência de ferramentas especializadas em gestão orçamentária durante a elaboração de orçamentos. Ou seja, está faltando tecnologia na hora de fazer um orçamento.

De acordo com a análise (que entrevistou 71 empresas da área da construção civil), 71% dos entrevistados usavam apenas planilhas eletrônicas para construir um planejamento orçamentário.

Não é à toa, portanto, que há um desvio médio de 22% entre o preço estimado para a obra e os gastos reais.

Sistema para gestão e orçamento de obras é o grande diferencial no mercado

A construção civil é um setor que aposta na tecnologia, mas que ainda tem um grande potencial para explorar. Por exemplo: qual sistema de gestão você conhece para orçamento de obras?

Hoje, os sistemas de gestão para orçamento de obras não apenas facilitam a elaboração final do documento, como também auxiliam no cumprimento da legislação, principalmente quando se trata de obras civis públicas . Vamos conhecer outros benefícios:

  • Coleta de um número grande de dados: já pensou fazer o orçamento de um prédio só com o auxílio de planilhas eletrônicas? Não é fácil e a chance de algo sair errado é grande. Por outro lado, um sistema permite a manipulação de uma variedade de dados.

  • Sistema online: não precisa nem dizer que isso facilita demais a vida da equipe responsável pelo orçamento. Ou seja, basta ter acesso à internet para conseguir lidar com a ferramenta.

  • Conferir os resultados: é possível checar os dados de forma simples e rápida. Agora, em planilhas, essa tarefa não é nada simples. Um número que sai errado compromete todo o resultado.

  • Melhorar a tomada de decisões: um sistema online não serve apenas para auxiliar na elaboração de orçamento, mas permite o acompanhamento da obra. É possível também mensurar o desempenho da atividade e antecipar problemas.

Agora que você entendeu a importância de um sistema online tanto para auxiliar na elaboração do orçamento como para gerir o desempenho da obra, que tal conhecer na prática como funciona um sistema assim? Visite nosso sistema e descubra as funcionalidades que oferecemos para você!